• foto huap site pgs iii- foto 1.jpg
  • foto huap site pgs iii- foto 2.jpg
  • sem ttulo7.jpg

Programação

foto para a parte de programação

 

PLANEJAMENTO E GERÊNCIA EM SAÚDE III

MPS 03017 Carga horária: 45 horas

Sala: Anfiteatro Prof. Aloisio Brazil (2º andar Prédio Anexo-HUAP) 

                                                  Horario: 13:30 as 18 h

Professores: Márcia Guimarães, Marcos Corvino, Cláudia March

                                            

Grupos 209 Turma B:

Grupo do prof. Marcos Corvino: Ana Luisa, Bruna, Fernanda, Karina, Lucas Antonio, Lis, Pedro, Wesley, Gabriel, Isis, Vivian, Wil, Caio

 

Grupo da prof.ª Márcia Guimarães:  Ana C., Barbara, Chistiane, Diego, Leonardo, Luisa, Marcele, Natália, Rafael F. Rodrigo, Ana Paula, Keiko, Rebeca, Stefani

 

Grupo da prof.ª Claudia March: Alice, Daniela, Lucas M, Marcela, Rafael B, Remo, Susana, Aisha, Cicero, Mariana, Mayra

Programa 2012.2B

 

 

 

data

                                                                tema

               objetivos específicos

 

 

07/02

 

 

Apresentação dos docentes e da disciplina, distribuição de material e indicação de fontes de estudo;

Divisão de 3 Grupos de Trabalho, para abordagem dos seguintes agravos:

Insuficiência renal (Prof. Marcos Corvino)

Câncer infanto-juvenil / hematológico (Profª. Márcia Guimarães)

Gravidez de Alto Risco (Profª Claudia March)

 

Levantamento de experiências em disciplinas/estágios na Rede de Atenção à Saúde, de maior interface com os diferentes níveis de complexidade

Compreensão da relevância dos processos e indicadores de qualidade para a saúde

 

14/02

CARNAVAL

 

 

 

 

21/02

 

 

Organização da rede de atenção à saúde: linhas/redes de cuidado. Conceituação de média e alta complexidade e sua relação com os agravos em discussão.

 

Momento 1: Aula expositiva à Apresentar conhecimentos básicos sobre a rede de serviços de saúde, sobre as doenças de maior impacto nos índices de mortalidade da população e a organização de linhas de cuidado.

Momento 2: Trabalho em grupo, sob tutoria de um professor e monitor, orientado por eixos de discussão e ajustado às peculiaridades dos temas escolhidos, buscando articulação com um campo de assistência. Domínio de informações para utilização nas aulas subsequentes.

 

 

 

 

28/02

 

 

 

Mecanismos de financiamento dos procedimentos e sustentabilidade dos serviços; Pactuações. Planos de desenvolvimento regional. Consórcios.

Momento 1: Aula expositiva

Momento 2: Trabalho em grupo, sob tutoria de um professor e monitor, orientado por eixos de discussão e ajustado às peculiaridades dos temas escolhidos, buscando articulação com um campo de assistência. Domínio de informações para utilização nas aulas subseqüentes.

 

 

07/03

 

 

Central de Regulação: Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência da Região Metropolitana II (RM II)

Momento 1: Aula expositiva à Apresentar conhecimentos básicos sobre o funcionamento de serviços de saúde especiais, na organização da linha de cuidado.

Momento 2: Visita à Central de Regulação

 

 

 

14/03

 

21/03

 

28/03

 

04/04

1. Situação do Câncer no Brasil; Política Nacional de Atenção Oncológica / Rede de Atenção Oncológica; Regulamentação da Alta Complexidade em Oncologia; Diretrizes de Cuidados Paliativos ou

2. Situação das Doenças Cardiovasculares no Brasil; Cuidado Integral às Doenças Crônicas Não-transmissíveis; Política Nacional de Atenção Cardiovascular de Alta Complexidade; Cuidados Paliativos de Pacientes Crônicos na Rede Básica ou

3. Situação da Gravidez de Alto Risco: Rede Cegonha

Eixos de discussão: Gravidade da doença e estadiamento no momento do diagnóstico; Tempo decorrido entre o início dos sintomas e o diagnóstico e entre este e o início do tratamento;

Avaliação das possibilidades e iniciativas de prevenção e diagnóstico precoce.

Articulação do sistema: atenção primária, média e alta complexidades;

Sistemas de informação disponíveis; possibilidades e benefícios de incorporação tecnológica.

 

Momento 1: Aula expositiva

 

Momento 2: Trabalho em grupo, sob tutoria de um professor e monitor, orientado por eixos de discussão e ajustado às peculiaridades dos temas escolhidos, buscando articulação com um campo de assistência.

 

 

 

 

11/04

Verificação escrita individual

18/04

Verificação suplementar

 

Avaliação:  1ª) Nota dada pelo professor-tutor, baseada nos seguintes critérios (peso 4):

 

                Interesse: envolvimento com as atividades propostas no que se refere à busca e ao aprofundamento dos conhecimentos;

 

                Iniciativa: capacidade em refletir, propor e executar as ações propostas;

 

                Capacidade de trabalhar em grupo: demonstração de solidariedade, colaboração e interação com o grupo e os professores;

 

                Responsabilidade: compromisso com o processo ensino-aprendizagem, assumindo as implicações do seu papel ético-social;

 

                Assiduidade: freqüência de no mínimo 75% das atividades.

 

                     2ª) Nota dada pelo conjunto dos professores: avaliação escrita individual (peso 4) / seminário do grupo (peso 2, sendo 1 para relatório e 1 para a apresentação).

 

 


Bibliografia básica

 

 

 

 

 

  1. 1.Brasil. Ministério da Saúde. Pacto pela Saúde. Portaria 399/GM. Brasília, 2006. Acessível em: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm. Veja também:  http://www.youtube.com/watch?v=cUTlrQCqQvs
  2. 2.Brasil. Ministério da Saúde. Mais Saúde. Direito de Todos 2008 – 2011. Brasília, 2007. Acessível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/mais_saude_direito_todos_3ed.pdf
  3. 3.FRANCO, C. M.; FRANCO, T. B. Linha de Cuidado Integral: Uma proposta de organização da rede de saúde. In: Manual do Gerente: desafios da média gerência na saúde / organizado por Luisa Regina Pessôa, Eduardo Henrique de Arruda Santos e Kellem Raquel Brandão de Oliveira Torres / autores Camilla Maia Franco, Simone Agadir Santos e Monica Ferzola Salgado – Rio de Janeiro, Ensp, 2011.
  4. 4.Oliveira R G; Grabois V; Mendes Jr. W V. (Org.). Organização de redes de atenção à saúde. Qualificação de gestores do SUS. / Organizado por Roberta Gondim de Oliveira, Victor Grabois e Walter Vieira Mendes Júnior. – Rio de Janeiro, RJ: EAD/Ensp, 2009. 404 p., il. ISBN: 978-85-61445-46-1
  5. 5.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Cuidado Integral às Doenças Crônicas Não-transmissíveis. Promoção da Saúde, Vigilância, Promoção e Assistência. Diretrizes e Recomendações. Brasília, 2007. Acessível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/mp3/diretrizes_recomendacoes_dcnt.pdf
  6. 6.Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Assistência de Média e Alta Complexidade no SUS / Conselho Nacional de Secretários de Saúde. – Brasília: CONASS, 2007. 248 p. (Coleção Progestores: Para entender a gestão do SUS, 9). Acessível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/colec_progestores_livro9.pdf
  7. 7.Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância de Câncer. Câncer da criança e adolescente no Brasil: dados dos registros de base populacional e de mortalidade/ Instituto Nacional de Câncer. Rio de Janeiro. 2008. Acessível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cancer_crianca_adolescente_brasil.pdf
  8. 8.Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Oncológica. Portaria GM/MS, 2439. Brasília, 2005. Acessível em: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2005/GM/GM-2439.htm
  9. 9.Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Diagnóstico precoce do câncer na criança e no adolescente. / Instituto Nacional de Câncer, Instituto Ronald Mcdonald. – Rio de Janeiro: INCA, 2009. 114 p. Acessível em: http://www.inca.gov.br/inca/Arquivos/publicacoes/livro_ronald_internet.pdf
  10. 10.Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN). V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. São Paulo, 2006.
  11. 11.Brasil. Ministério da Saúde. Rede Cegonha. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/saude/gestor/visualizar_texto.cfm?idtxt=37082

 

 

 

Bibliografia Complementar:

 

  1. 1.ABCP. http://www.cuidadospaliativos.com.br/artigos.php acesso em 17/5/09
  2. 2.Rede Interagencial de Informação para a Saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações / RIPSA – 2ª ed. – Brasília: OPAS 2008. 349 p.: il.
  3. 3.Brasil. Ministério da Saúde & Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. Projeto Economia da Saúde: Atenção de Alta Complexidade no SUS: Desigualdades no Acesso e no Financiamento - Volume I. Brasília, DF: 2005. Acessível em: http://getinternet.ipea.gov.br/economiadasaude/adm/arquivos/destaque/alta_complexidade.pdf
  4. 4.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes. Brasília, 2007. Acessível em http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2007/politica_mulher.pdf